sábado, 16 de maio de 2009

Enriquecimento ambiental só faz bem?


Muitos estudos com enriquecimento demonstraram melhorias significativas na capacidade dos animais em cativeiro de se adaptarem a novas situações. Em geral esses estudos demonstraram melhorias nos aspectos da cognição e da emocionalidade. Um estudo recente com um pequeno peixe (Danio rerio; foto acima) utilizado em vários experimentos de laboratório, os autores compararam três grupos em ambiente enriquecido. Os grupos eram formados por peixes recém capturados no ambiente natural, criados em aquários “enriquecidos” há dez meses e criados em laboratório há dez meses sem o “enriquecimento”. Os autores testaram temperamento, memória a aprendizado nos animais. Houve melhorias e diferenças?

Os resultados vão contra a visão corriqueira de que o enriquecimento ambiental sempre melhora as condições de vida dos animais.

Uma lição importante do estudo é que resultados negativos também merecem ser mostrados. Principalmente quando esse resultado contradiz a visão generalizada de um método, de uma técnica ou de teorias estabelecidas. O autor precisa ter coragem e segurança em publicar dados contrários ao “mainstream”. Mas são tão importantes quanto os resultados de estudos confirmatórios. Implica em demonstrar atalhos para pesquisadores que querem investigar temas semelhantes, cria um estímulo para novos estudos e permite se descortinar novos enfoques que estiveram amortecidos pelos estudos confirmatórios.

Veja o estudo acessando o portal da CAPES ou solicitando o nosso empréstimo: Brydges & Braithwaite (2009). Does environmental enrichment affect the behaviour of sh commonly used in laboratory work? Applied Animal Behaviour Science 118: 137–143.

2 comentários:

grazynha_m disse...

Olá!
Gostaria de solicitar uma cópia do artigo de vcs: Brydges & Braithwaite (2009). Does environmental enrichment affect the behaviour of fish commonly used in laboratory work? Applied Animal Behaviour Science 118: 137–143.
Como faço?
Graziele

André disse...

Achei meio tendencioso o título da postagem, perguntando se o enriquecimento ambiental só faz bem, ou seja, deixando nas entrelinhas que poderia fazer mal.

E ao não divulgar o resultado da pesquisa, deixa a questão em aberto, quando na verdade a pesquisa apenas constatou que não havia diferenças de comportamento entre os peixes com enriquecimento e os sem enriquecimento.