sábado, 23 de maio de 2009

Eutanásia por anestesia inalante pode gerar sofrimento em ratos


Milhões de ratos são mortos todos os anos após o uso em experimentos ou por excesso de população em laboratórios. A morte é geralmente aceita por cientistas mas ainda reside um conflito sobre o melhor método que causaria o menor desconforto nos animais a sofrerem eutanásia. Inalantes ou gás carbônico (CO) são métodos empregados e aceitos em muitos locais. Dois dos anestésicos inalantes mais usados, o halotano e o isoflurano, parecem causar um estado de ataxia seguida por narcolepsia profunda e anestesia. Acredita-se que a indução anestésica por inalação desses gases causaria menos distresse (desconforto e aversão) em ratos antes de serem mortos por inalação de CO. I. J. Makowska e D. M. Weary (Canada) testaram a memória emocional de ratos submetidos ao contato e aos efeitos de halotano e isofluarano. Os autores verificaram se os efeitos desses gases como a ataxia seriam lembrados como aversivos em re-testes. Os resultados são sugestivos de que os gases em questão são aversivos aos ratos se comparados e a um odor neutro (odor de menta, por exemplo). A fuga de ambientes onde anteriormente os ratos tiveram contato com os gases foram rápidas mesmo que houvesse um reforço positivo (um alimento de recompensa).Os autores defendem, contudo, que ainda que seja aversivo não haveria método melhor e mais humano para induzir anestesia e praticar a eutanásia em roedores.
O estudo está em: Makowska & Weary (2009). Rat aversion to induction with inhalant anaesthetics. Applied Animal Behaviour Science, on line.

Nenhum comentário: