domingo, 31 de maio de 2009

Lagarto submetido à alto nível de corticosterona aumernta a intensidade de resposta ao predador



Pela primeia vez foi publicado um estudo em que os pesquisadores administraram exogenamente corticosterona a lagartos e observaram a resposta ao encontro súbito com um predador. O estudo, publicado nessa semana na Hormones & Behaviour, testou três morfos de pequenos lagartos norte-americanos (Urosaurus ornatus, foto mais acima) quando confrontados com um outro réptil, predador característico (Crotaphytus nebrius, foto logo abaixo da primeira). Os hormônios influenciam e são influenciados pelo comportamento. Especialmente são importantes os hormônios glicocorticóides (corticosterona e cortisol) que alteram a expressão gênica das células, embora hajam indícios claros de que também ajam em interações protéicas no citoplasma. Estressores tais como a presença ou pistas de um predador são potentes estimuladores de uma resposta de defesa que ativam os glicocorticóides em todos os vertebrados. O estudo verificou que diferentes estratégias comportamentais de defesa em três morfos classificados conforme a coloração da região gular (orange, orange-blue e mottled) são preservadas. Os machos orange são mais cautelosos enquanto os machos orange-blue são mais assertivos. A corticosterona aumentada devido à colocação de emplastos dérmicos 36 h antes, fez com que a estratégia fosse mantida mas a velocidade e o tempo modificado. Por exemplo, os machos orange, se esconderam mais rápido e ficaram mais tempo escondidos quando confrontados com o lagarto predador. Interessantemente os autores salientaram que os níveis de hormônios circulantes permaneceram os mesmos comparativamente entre os morfos. Isso valeu também para a testosterona, outro hormônio testado pelos autores. A replicação desse estudo ou o uso dos seus achados em estudos futuros são muito instrutivos para quem estuda as interações entre hormônios e comportamento; ou que busca uma explicação para comportamento emocional em répteis e outros vertebrados. Presta atenção nas referências!

O estudo está no portal da CAPES ou nós emprestamos: Thaker et al (2009). Acute corticosterone elevation enhances antipredator behaviors in male tree lizard morphs. Hormones and Behavior, 56: 51-57.

Nenhum comentário: