quinta-feira, 25 de junho de 2009

Passarinhos (não são corvos nem papagaios) reconhecem pessoas rapidamente em ambiente urbano


A crescente ocupação urbana* tem levado a uma modificação no comportamento e na ecologia de diversas espéceis de animais. Algumas espécise parecem se beneficiar dessa interação enquanto outras, talvez a maioria, estão em pleno declínio. Um dos motivos do sucesso de algumas espécies em conviver com humanos, em áreas urbanizadas, é a capacidade de se adaptarem adotando estratégias novas ou exacerbando algumas características inerentes de defesa e adaptação. Os mockinbirds (Mimus polyglottos), uma espécie de sabiá norte-americano, da família Mimidae, parecem ser animais privilegiados quanto à capacidade de aprendizagem e particularmente em relação às características físicas de pessoas. Alguns desses pássaros foram observados no campus universitário da Florida (Gainesville), onde vivem em contato com centenas de transeuntes todos os dias. Os pássaros foram submetidos a um elegante experimento para testar a capacidade de se adaptarem ou reconhecerem potenciais predadores. Estudiosos expuseram esses pássaros no ninho à proximidade de uma pessoa, que extendia a mão por 15 s para a abertura do ninho, durante cinco dias, vestindo difeentes tipos de roupas. A aproximação e o gstp de ameaça duravam 90s. No sexto dia, a pessoa (o intruso) foi trocado por outra pessoa desconhecida dos pássaros. Os pássaros foram aumentando as demonstrações de agressão e de fuga a cada dia para o primeiro intruso, mas diminuíram a reação quando o segundo intruso foi introduzido. Isso demonstra que os pássaros reconheceram o primeiro intruso que significava uma ameaça. Os pássaros não generalizaram a resposta para as centenas de transeuntes que passavam próximos ao ninho (em distâncias tão curtas quanto 5 metros). Ademais, os pássaros foram menos reativos quanto mais transeuntes passavam perto de seus ninhos por dia.

Veja em :Levey et al (2009) Urban mockingbirds quickly learn to identify individual humans. PNAS, 1-4. (www.pnas.org.cgi.doi.10.1073.pnas.0811422106).

*mais de 50% da população da Terra vive em áreas urbanas; a tendência é crescente.

Nenhum comentário: