segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A ligação entre o chulé e a melhora da epilepsia


Um título tão disparatado para etologia mas sem deixar de ser interessante em termos de cultura acadêmica geral.
Epilepsia é um quadro sidrômico caracterizado por disparos quimioelétricos de partes ou de todo o cérebro, caracterizando disfunções sensoriai e/ou motorass variadas, mas que são conspicuamente observadas por contrações tônicas e clônicas involuntárias do corpo, acompanhado de inconsciência nos pacientes.

Na Índia há o hábito tradicional de expor o paciente durante o ataque de epilepsia a um chulé "bem forte". Parece que o chulé "bem forte" tem propriedades de diminuir a duração dos ataques epiléticos, embora cheiros fortes possam precipitar um ataque. Isso foi observado e defendido por um cientista indiano, Dr Jaseja, de propôs uma explicação neurobiológica para uma terapia tão inusitada para a asséptica cultura cristã-ocidental.

Pode parecer engraçado mas o trabalho do Dr Jaseja foi publicado em uma revista bem conceituada: Jaseja H. Scientific basis behind traditional practice of application of ‘‘shoesmell” in controlling epileptic seizures in the eastern countries. Clin Neurol Neurosurg 2008;110(6):535–8.
Também pode ser encontrado uma carta do autor acessando a revista: Journal of Medical Hypotheses 74 (2010) 202–210.

Será que é?

Postado por Vanner Boere.

Nenhum comentário: