quinta-feira, 4 de junho de 2009

Mas afinal, o que é comportamento?


Todas as pessoas que lerão essa postagem vão saber responder de alguma maneira o que é comportamento. Mas nem toda definição poderá se adequar ao que eu faço você faz ou o colega vizinho faz em etologia. Teremos definições diferentes, não por que há uma limitação semântica ou falta de recurso de linguagem, mas porque podemos conceituar comportamento conforme a nossa área primária de formação e nossa experiência.Podemos até ter “pré-conceitos” modelando a nossa definição sobre comportamento.

A ciência exige definições precisas, mas elas não são congruentes quanto à definição do que é comportamento. Foi o que verificaram três pesquisadores da Universidade da Califórnia, Berkeley. Os pesquisadores pesquisaram o termo comportamento na área de biologia comportamental. Ficaram surpresos que as definições em livros e artigos científicos frequentemente excluíam organismos e ações (ou falta delas), quando aplicados a estudos diferentes. Por exemplo, algumas definições admitem que dormir é um comportamento; outras não. Algumas definem que hibernar é um comportamento, outras não. Tomar uma decisão em pensamento (mesmo não a executando) é considerado um comportamento por alguns autores, mas não para a maioria. Isso acaba por fazer uma tremenda confusão conceitual.


Os autores fizeram um levantamento de exemplos e conceitos de "comportamento" e aplicaram um questionário para 181 proeminentes cientistas na área de comportamento, que pertenciam a três sociedades cientificas (Animal Behaviour Society, International Society of Applied Ethology e Society for Plant Neurobiology). Entre as 174 respostas consideradas, houve muita discordância e incongruência, até mesmo nas respostas do mesmo pesquisador.

Há uma interessantíssima discussão sobre a definição de comportamento no artigo. Quatro critérios devem ser preenchidos para que o conceito de comportamento, fosse completo:
a. definição operacional;
b. definição essencial;
c. definição sucinta;
d. definição amplamente aplicável.

Analisando os resultados da enquete e considerando outros fatores teóricos, os autores definem o que é comportamento:

“Behaviour is the internally coordinated responses (actions or inactions) of whole living organisms (individuals or groups) to internal and/or external stimuli, excluding responses more easily understood as developmental changes.”

Mesmo com essa definição não é muito fácil distinguir o que é comportamento no contexto de fenômenos do desenvolvimento (ontogenia) ou no contexto da fisiologia. Os autores preferem que essas áreas das ciências sejam mais enfocadas para explicar os fenômenos quando estão mais imiscuídos com comportamento. Ainda assim, os autores não se propõem a dar um conceito definitivo, mas propõem uma unificação conceitual que possa definir o que é ciência do comportamento ou não.

Complementando a postagem, inserimos aqui o mais importante, a referência do artigo:

Levitis et al. (2009). Behavioural biologists do not agree on what constitutes behaviour. Animal Behaviour, published in advance on line.

Desculpa a nossa falha

Nenhum comentário: