domingo, 8 de abril de 2012

Journal of Contextual Behavioral Science: novo periódico na área comportamental

The Journal of Contextual Behavioral Science is the official journal of the Association for Contextual Behavioral Science (ACBS).
JCBS is a systematic and pragmatic approach to the understanding of behavior, the solution of human problems, and the promotion of human growth and development. JCBS uses functional principles and theories to analyze and modify action embedded in its historical and situational context. The goal is to predict and influence behavior, with precision, scope, and depth, across all behavioral domains and all levels of analysis, so as to help create a behavioral science that is more adequate to the challenge of the human condition.
JCBS welcomes contextual behavioral analyses of phenomena that are relevant to the aims and scope of the society's mission, which is to change behavior at an individual or cultural level, to alleviate human suffering, and to advance human wellbeing. JCBS is also a strategic approach to the analysis of human behavior that proposes the need for a multi-level (e.g. social factors, neurological factors, behavioral factors) and multi-method (e.g., time series analyses, cross-sectional, experimental…) exploration of contextual and manipulable variables relevant to the prediction and influence of human behavior. In addition it places a strong emphasis in theory development and the promotion of effective practices that link back to scientific principles.
The journal considers papers relevant to a contextual behavioral approach include empirical studies (without topical restriction - e.g., clinical psychology, psychopathology, education, organizational psychology, etc.), reviews (systematic reviews and meta-analyses are preferred), and conceptual and philosophical papers on contextual behavioral science. We are particularly interested in papers emphasizing the study of core behavioral processes that are relevant to a broad range of human problems, and thus not limited to certain populations. Conceptual papers selected for publication may address a broad range of topics but generally will focus on contextual and functional variables or the philosophical analysis of contextual behavioral science. Papers that challenge a contextual behavioral science approach are always welcome. Papers bridging different approaches (e.g., connecting behavioral approaches with cognitive views; or neurocognitive psychology; or evolutionary science) are particularly encouraged.
The journal publishes papers written by researchers, practitioners, and theoreticians from different intellectual traditions. What is distinctive is not a narrowly defined theory or set of applied methods but whether the methodology, conceptualization, or strategy employed is relevant to a contextual behavioral approach.
Editor-in-Chief: Joseph Ciarrochi

O significado da pesquisa em Comportamento Animal


Em 1999, o pesquisador Charles Snowdon, escreveu um texto que ainda é uma pérola para quem quer e está estudando comportamento animal (Snowdon, C 1999. O significado da pesquisa em Comportamento Animal. Pesquisa em Psicologia 4(2), 365-373.)
Este texto, de leitura simples e ao mesmo tempo muito interessante, chamou minha atenção ao reforçar a importância de estudos relacionados ao comportamento animal. E infelizmente muitas vezes nem mesmo as pessoas que estão envolvidas na área se atentam para a importância deste tipo de pesquisa. Concordo que é importante estudarmos e entendermos o comportamento dos animais, até mesmo para nos conhecermos melhor (como foi muito bem demostrado no Livro “Eu Primata”, de Frans de Wall), onde ele faz um paralelo entre humanos, chimpanzés e bonobos e mostra que ora nós “assumimos” mais o comportamento dos chimpanzés, e outas vezes deixamos fluir o comportamento dos bonobos para a resolução de nossos conflitos; mas penso que estudar o comportamento animal deveria ser importante por si só, pelo valor que “eles” têm, ainda mais porque em grande parte das vezes se eles apresentam algum desequilíbrio comportamental é porque nós humanos interferimos no seu equilíbrio visando nosso próprio bem estar.
Só acho lamentável que a pesquisa ainda esbarre em questões financeiras que muitas vezes acabam causando entrave em estudos de extrema importância para a conservação da vida, tanto a deles como a nossa.

Postado por Alba Zilocchi Coli

sábado, 7 de abril de 2012

Agressão canina: implicações comportamentais nas vítimas



Apesar de já se conhecer bastante sobre as peculiaridades que envolvem o ataque canino (agressor, vítima e ambiente), é certo que ainda há muito que se investigar sobre os aspectos éticos, legais, educacionais, econômicos, socioculturais, emocionais e de saúde pública neste contexto. Em recente estudo realizado em Ohio, EUA, buscou-se informações acerca dos aspectos emocionais em 34 vítimas, pertencentes à parcela mais suscetível a ataques de cães: as crianças. Tanto os indivíduos atacados quanto os seus pais manifestaram, em sua grande maioria, alterações psicológicas após a agressão, dentre elas: estresse, depressão e transtornos alimentares e do sono. Tais dados nos chamam a atenção para uma situação preocupante, visto que, além das sequelas físicas e emocionais, os agredidos e suas famílias enfrentam entraves legais (por se tratarem de serviços carentes e de pouca acessibilidade) e transtornos financeiros (já que os gastos extrapolam, e muito, as demandas em saúde). Nos EUA 4,5 milhões de pessoas são mordidas por cães a cada ano e a média do gasto público com esta vítima é cerca de 50% maior do que a média para vítimas de outras injúrias. É necessário e urgente exigirmos melhorias na prestação de serviços de suporte aos agredidos, incentivarmos medidas educacionais de prevenção aos ataques, entendermos com mais profundidade as relações ‘homem-cão’, dialogarmos com pesquisadores de diversas culturas e, sobretudo, integrarmos profissionais das diferentes áreas do conhecimento na discussão deste problema, internacionalizando-o e desmistificando-o.
Comentários a partir do artigo: Boat et al., 2012. Pediatric Dog Bite Victims: A Need for a Continuum of Care.Clinical Pediatrics XX(X) 1–5. 

Postado por Clarice Silva Cesário.
07 de Abril de 2012.